Foto Coleção JAPAMALAS site.jpg

Japamalas

O Japamala é um cordão sagrado de contas usado para ajudar o praticante de meditação a entrar no estado meditativo através da repetição de mantras.

A palavra Japamala vem do sânscrito, onde “JAPA” quer dizer repetição de nomes sagrados, mantras e “MALA” significa cordão.

No hinduísmo esse cordão deve possuir 108 contas.

Para a utilização correta do japamala precisamos observar alguns pontos importantes, tais como:

  1. Os dedos que seguram o japamala são o polegar e dedo médio da mão direita. O dedo indicador não deve tocar as contas, pois representa o ego, onde a meditação objetiva observar e ultrapassar.

  2. O entoamento dos mantras deve ser feito em local reservado fora da vista das pessoas; se isso não for possível, pelo menos o japamala deve ficar encoberto com um pano ou em uma bolsinha junto ao corpo.

  3. O japamala utilizado em sua meditação não deve ser mostrado ao público tampouco ser utilizado no pescoço. É comum ter mais de um japamala para utilizar como adorno ou proteção em volta do pescoço.

  4. O praticante de meditação deve sentar com a coluna ereta e pernas cruzadas de forma estável e confortável. A mão que segura o japamala deve ser mantida na altura do coração. Para as pessoas que não praticam yoga ásanas e que não conseguem sustentar o corpo sentado no chão de pernas cruzadas podem sentar-se em uma cadeira com a coluna apoiada observando para que os dois pés toquem o chão.

  5. É bom consagrar e potencializar o japamala antes de utilizá-lo. Pode ser lavando-o no mar, rio ou cachoeira. Na Índia é comum lavá-lo no rio Ganges.

  6. Quando um japamala arrebenta é bom descartá-lo, não deve ser consertado, pois ele cumpriu seu propósito para liberar energias densas que precisavam sair. Hora de adquirir um novo japamala!

  7. O melhor japamala é o que nós mesmos adquirimos; os que ganhamos como presente podem ser doados de volta ou usados para adornos (não para sua prática pessoal de mantra).

  8. Tenha sempre um bom professor védico ou de meditação para auxiliar na prática de mantras, meditação e uso dos japamalas.

 

“Todos os nomes de Deus na tradição védica são adjetivos e não Substantivos! Não é possível descrever com palavras O Sem Forma!


O Sânscrito não é mais uma língua para ser falada pelos homens e sim um código para decifrar os Vedas!”
Boa meditação com Japamala a todos!


OM NAMAH SHIVAYA (está ai um bom mantra para começarmos!)